Letras

Prémio Caneta de Ouro 2018

Ermi Panzo, escritor e poeta, palestrante e activista da cultura africana na diáspora foi agraciado com o Prémio Caneta de Ouro e ainda diplomado e concedido o titulo de Comendador Benfeitoria da Humanidade, pela Federação Brasileira dos Académicos das Ciências, Letras e Artes (FEBACLA), pelo que tem vindo a realizar no âmbito da literatura escrita e oral, assim como as demais contribuições e elevação da cultura africana das diásporas, durante a sua trajectória..

Ermi Panzo, escritor e poeta, palestrante e activista da cultura africana na diáspora foi agraciado com o Prémio Caneta de Ouro e ainda diplomado e concedido o titulo de Comendador Benfeitoria da Humanidade, pela Federação Brasileira dos Académicos das Ciências, Letras e Artes (FEBACLA), pelo que tem vindo a realizar no âmbito da literatura escrita e oral, assim como as demais contribuições e elevação da cultura africana das diásporas, durante a sua trajectória..
A solenidade ocorreu na passada sexta feira, 14 de Dezembro de 2018, na Federação Municipal de Niterói - Rio de Janeiro. Fez as honras outorgais ao agraciado Ermi Panzo o presidente da FEBACLA Grão Mestre das ordens do Sodalício Académico, Dom Alexandre Carvalho, na presença de membros do Secretariado da Ordem Mundial Dos Direitos Humanos e convidados.
De referir que a escritora Ngonguita Diogo, também de Angola também recebeu o mesmo título. Portanto Angola conta com Ermi Panzo e Ngonguita Diogo no acervo de premiação internacional na titularidade acima referida.
O Homenageado, na ocasião, dedicou o prémio aos seus pais, Teresa Saraiva Panzo e Marques Alexandre, e associou a vitória aos amigos e amigas que o prestigiaram ali.
Assim como também reverenciou a ancestralidade dos povos afros brasileiros em honra das matrizes africanas. E finalmente entregou o livro de Agostinho Neto como símbolo da literatura angolana à FEBACLA, na pessoa do seu coordenador Dom Alexandre Carvalho.
Panzo já foi premiado e reconhecido também em outros lugares, sendo o vencedor do primeiro concurso nacional angolano de palavra falada (kussinguila) em Angola, em 2013 e levou a poesia angolana no fórum pan-africano que decorreu em Kampala, Uganda, no mesmo ano. Ainda soma outros diplomas de reconhecimento obtidos em Cuba, México e Brasil em virtude das suas contribuições e promoção da Cultura e arte africana.
O Autor
Ermi Panzo, de nome Ermildo Saraiva Pano, natural de Caxito, província do Bengo, Angola, é escritor, poeta declamador, coreógrafo e bailarino performer, consultor e estruturador de textos literários e agente literário. Como cidadão do mundo, a difusão da sua arte literária e outras paixões pela pedagogia, o tornou um nómada pela África, e América Latina.E nesta sua temporada no Brasil, trabalha com projectos culturais de matrizes africanas na linguagem de literatura oral e escrita, levando assim a cultura africana às periferias de São Paulo. É membro do Movimento Berço literário/Angola. Coordena as edições Afrikanse e parceiros de outros movimentos artísticos do Brasil. Ermi Panzo também fundou o projecto pedagógico “La escuela y mis debilidades”, em Cuba e posteriormente actuando no México (projecto ligado a métodos estudos, técnicas de elaboração e estruturação de trabalhos técnicos científicos e desconstrução do sistema educativo pelo viés autopersonal)
Panzo é autor do Livro ÓPIO, O GRITO DO POETA, DESASSOSSEGO e integrante das antologias POEMAS DE BERÇO E OUTROS VERSOS (Mov.Berço Literário de Angola), VERSOS ITINERANTES (Escritores de Florianópolis) e do dueto antológico LA NARANJA PODRIDA (com a escritora Jamaicana Luna Bijan) Brevemente o livro ATÉ A PRÓXIMA VEZ.