Arte Poética

Poema de António Fonseca

Renasçam as almas incandescentes
Brotem flores neste marasmo
Reincarnem-se os Mensageiros…

Renasçam as almas incandescentes
Brotem flores neste marasmo
Reincarnem-se os Mensageiros…
Desnude-se o verso
E cante-se a Poesia.

Sibilem balas de amor
Quebre-se o gelo dos dias que correm
Renasça a memória
Volte a florir sobre o cinzento dos jardins.

Vença-se o charco da ilusão
E dos escombros da alma
Voltem as cigarras a cantar
O sonho dos poetas
Anunciando novo dia…