Eco de Angola

Ministra da Cultura esclarece construção do Arquivo Nacional

No 20º aniversário da Liga Africana

Ao contrário do que este jornal relatou na edição anterior, sob o título “A Liga Africana e a sua Importância Histórica”, e que resultou da reprodução de uma reportagem da ANGOP sobre o 20º aniversário da Liga Africana, a ministra da Cultura, Carolina Cerqueira, não procedeu ao encerramento formal da sessão comemorativa.
Carolina Cerqueira participou no evento como convidada, e apenas se pronunciou para responder a umas questões colocadas sobre o Arquivo Histórico e a História de Angola.
A ministra jamais anunciou que o primeiro Centro de História de Angola, em construção, está na sua fase final. A titular da pasta da Cultura limitou-se a esclarecer a imprensa presente no evento sobre o andamento das obras do Arquivo Nacional de Angola.
O jornal Cultura recorda que o novo edifício do Arquivo Nacional de Angola surge no âmbito do Plano Nacional de Desenvolvimento que prevê, entre os seus objectivos específicos para o sector da Cultura, a implementação do Sistema Nacional de Arquivos. A infra-estrutura ocupa uma área de 4 hectares, com 30.540 metros quadrados de construção, num total de 5 pisos. O edifício terá, entre outras dependências, 69 salas de arquivo, 39 escritórios, dois laboratórios, três salas de exposições, dois auditórios, 9 salas de formação.
A infra-estrutura, depois de concluída, permitirá a correcta melhoria da acomodação da documentação existente no Arquivo Nacional de Angola, assim como a incorporação dos documentos produzidos depois de 1975 pelos Órgãos de Soberania do País, a serem transferidos para aquela instituição, melhorar o estado de conservação e a qualidade de serviços no acesso dos investigadores e estudantes ao seu acervo. Vários outros serviços que actualmente não são desenvolvidos por falta de espaço e técnicos serão prestados no novo edifício.